Comunicação

Você conhece a Escola Interamérica?

Publicado em : 23/08/2019

Você conhece a Escola Interamérica?

Escrito por: Meigna Ferreira

__________________________________________________________________________________________________

Agosto é o mês de volta às aulas, dos pais, dos estudantes... Início de um semestre letivo com um rigor acadêmico maior, o que implica em maior exigência também na postura de estudante e na rotina de estudos, seja na escola ou em casa. Diante dessas questões e de tantas outras que ouvimos nos atendimentos às famílias, decidimos propor algumas reflexões para o(a) leitor(a) e contribuir com algumas orientações de estudos.

Resgatar a nossa história escolar é parte desse processo. Então, vamos lá!

Que memórias você tem de sua infância na escola? De quais atividades você se recorda? Sim, aquelas que te marcaram, que foram significativas! São atividades que envolvem mais a aprendizagem?

Que estudante você era na idade de seu(sua) filho(a)? Gostava de fazer o quê? Tinha preferência por disciplinas? Você aprendia melhor como?

Ao participar de reflexões assim, na faculdade, em grupos de estudos e até mesmo em visita à escola High Tech High (HTH), na Califórnia, a conclusão que ficava para a maioria das pessoas era pouca memória de aprendizagens significativas. Cabe aqui pensarmos que educação, que ensino queremos para os nossos filhos? O mesmo que tivemos? Entendemos que sua resposta seja não, até porque você escolheu uma escola com uma proposta política pedagógica bastante arrojada, que se preocupa, sim, com conteúdos, mas com um compromisso ainda maior na formação integral de seu(sua) filho(a). Nos comprometemos com um ensino de excelência, com o protagonismo do(a) estudante, com a individualidade de cada um(a), com as relações socioemocionais... O que nos propomos a fazer (e fazemos!) extrapola o ensino pautado em questionários e em listas e listas de exercícios. Ensinar é para além, muito além das listas de exercícios.

Convidamos a cada família para conhecer mais sobre a proposta pedagógica e filosófica da Interamérica. Nos procure, participe das rodas de conversas, das oficinas, das reuniões, visite o nosso site, acesse o instagram, leia os textos... solicite reuniões conosco! Traga suas dúvidas, suas angústias para tratar diretamente com a escola. Acreditamos na parceria para o melhor desenvolvimento e formação de nossos estudantes. E nesse contexto também vamos aprendendo e nos formando, enquanto pais, profissionais, educadores, enfim.

É fundamental entender os porquês das nossas escolhas pedagógicas, assim, poderemos ter mais segurança ao orientar e/ou estudar com seu(sua) filho(a), ao conversar com amigos. Conheça a proposta pedagógica da escola de seu filho!

Como prometido inicialmente, gostaríamos de compartilhar algumas orientações que poderão contribuir para formar/aprimorar a postura de estudante:

- Incentive e encoraje seu(sua) filho(a) a perguntar, a pesquisar, a investigar mais sobre o assunto. Não precisa ficar esperando a professora encaminhar uma tarefa para casa. A busca também pode ser individual.

- Tomar nota das dúvidas é uma boa estratégia. Mas não é o suficiente para um(a) aluno(a) da Interamérica. É preciso desafiá-lo(a) a refletir sobre o que tem dúvida. Dizer “Não entendi”, “Não sei” (...) na maioria das vezes é um recurso que usamos para ficar na zona de conforto e ser favorecido! Atenção, isso é sério! Questione: você não entendeu o quê? Não sabe o quê? Então, elabore perguntas sobre o que não entendeu e leve para a professora. E o que fazer depois? Mostre interesse pela dúvida de seu(sua) filho(a). Peça para ver o registro que ele(a) fez sobre o que entendeu após conversar com os colegas e/ou a professora.

- A tarefa de casa é um dos momentos de estudo. Mas, conforme seu(sua) filho(a) for mudando de série e de acordo com o semestre letivo é preciso ter uma rotina de estudo diferenciada. Como fazer isso? Organize, juntamente com ele(a), um quadro de horários com as atividades de cada dia da semana, incluindo horários para fazer a tarefa, para estudar um conteúdo que foi trabalhado (planejar o que estudar), lazer, atividades extras...

- Definir a rotina de estudo e planejar o que estudar de forma gradativa e com frequência não é uma tarefa fácil e requer ajuda de um adulto. No entanto, uma vez constituído esse hábito, o(a) aluno(a) seguirá de forma mais independente e buscará aprimorar as estratégias.

- Ter consciência e disciplina para aproveitar o tempo e torná-lo um aliado é um desafio até mesmo para nós adultos, imagine para os pequenos! Por isso precisarão de ajuda, mediação e supervisão de um adulto.

- O(A) estudante precisa desenvolver a curiosidade e a iniciativa para pesquisar e aprofundar os conhecimentos de conteúdos estudados e outros de seu interesse particular.

- Ao estudar é preciso identificar o que já se sabe e também no que tem dúvidas. E ao rever esse conteúdo novamente, comece a estudar pelos conteúdos que tiver maior dificuldade. Esse é um cuidado que é preciso ter, pois temos a tendência de estudar o que já sabemos primeiro e deixar o que é mais difícil por último e nem sempre nos dedicamos o suficiente.

- Um outro grande desafio e aliado do(a) estudante é a autoavaliação. Identificar aspectos que precisam ser aprimorados na leitura, na compreensão, na escrita... e traçar estratégias para superar os desafios devem fazer parte da vida do(a) estudante.

- Os conhecimentos não podem ser estanques. Eles só terão sentido se forem utilizados, por isso, precisam transitar, dialogar, ganhar sentido e significado na vida dos estudantes e nós, adultos, podemos mediar esse processo ouvindo, questionando, refletindo, ajudando a estebelecer relações.

- Incentive seu(sua) filho(a) a ser protagonista. Deixe-o(a) falar. Não fale por ele(a). Não resolva por ele(a). Não pense por ele(a). Sejamos coerentes entre o que queremos e cobramos de nossos filhos com as nossas ações contrárias. Fica o convite para refletirmos e buscarmos a coerência entre o nosso falar e o fazer.

Por um mundo melhor, por estudantes mais sábios, criativos, críticos e felizes, a parceria escola e família é fundamental. Conheça a escola de seu(sua) filho(a)!

Meigna Ferreira é Coordenadora Pedagógica da Escola Interamérica – 3º, 4º e 5º Anos – Pedagoga e Psicopedagoga.


Escola Interamérica, Uma Escola Viva

Escola Interamérica, Uma Escola Viva

 26/06/2020

Saímos todos da nossa zona de conforto e tivemos que nos readaptar à nova realidade imposta. Cada um sentiu e viveu esse período de diferentes maneiras, não é mesmo? E, gradativamente, os medos foram se transformando. Das dúvidas e angústias, nasceram  possibilidades e certezas.


Avaliação da aprendizagem em aulas não presenciais

Avaliação da aprendizagem em aulas não presenciais

 29/05/2020

Todos nós já ouvimos falar bastante sobre este assunto, e certamente temos algum tipo de “opinião” sobre ele, ainda que muitos não tenham estudado formalmente algo voltado para o tema.


A “romantização” do isolamento social em casa

A “romantização” do isolamento social em casa

 11/05/2020

Estamos todos no mesmo barco? Não. Na verdade nunca estivemos, e agora, mais do que nunca, não estamos. Se há algo em comum que nos interliga nesse tempo de pandemia é o fato de estarmos imersos no cenário que é a nossa casa, na realidade das nossas relações interpessoais, nas diferentes rotinas de cada um, nos diferentes modos de se viver esse tempo, nas diferentes estratégias de lidar com o isolamento social.


Rosely Sayão: “Educar é apresentar a vida e não dizer como viver”

Rosely Sayão: “Educar é apresentar a vida e não dizer como viver”

 13/03/2020

Educar não é fácil, muito menos nos tempos atuais. A sociedade tem passado por muitas transformações, e os pais se veem, tantas vezes, completamente perdidos. É o que evidencia a psicóloga Rosely Sayão em seu recém-lançado livro Educação sem blá-blá-blá (Ed. Três Estrelas, 2016).


Entrada na adolescência

Entrada na adolescência

 06/03/2020

A entrada na adolescência traz grandes desafios para a família e para os indivíduos. Entendemos, enquanto escola, que é muito importante para as famílias conhecer as principais transformações para que esse período tão importante da vida seja vivido de forma saudável para toda família. O texto a seguir traz contribuições importantes.


“Eu tenho a força!”

“Eu tenho a força!”

 28/02/2020

Há muito tempo não tinha a oportunidade de fazer uma criança dormir em minha casa. Meu único filho é um jovem adulto e não mora mais conosco... Assim, contento-me em aguardar o dia em que será possível ter meu netinho ocupando seu quarto em minha casa para então poder viver a experiência de cuidar mais de perto de uma criança, e fazê-la dormir, como acontecia com meu filhote.


Diversidade

Diversidade

 28/02/2020

Pensando na escola como um ambiente onde se reúne a maior diversidade durante um considerável tempo (e não é apenas pelos critérios de afinidades), também como um espaço privilegiado de construção de conhecimento e interação social, chegamos à conclusão de que valores como respeito, empatia, solidariedade, colaboração, ética, dentre outros, não podem ficar fora do que entendemos por “educação integral” dos sujeitos.


Tarefa de casa em família: um momento de aprendizado para todos

Tarefa de casa em família: um momento de aprendizado para todos

 21/02/2020

Após chegar da escola, é normal que seu filho esteja cansado para realizar as tarefas escolares. É exatamente por isso...


Adolescência em questão

Adolescência em questão

 21/02/2020

Falta de sono na hora de dormir, sono demais na hora de levantar, preguiça para realização de tarefas de casa, preguiça para leitura, tempo em excesso nos eletrônicos, conflitos com a família, quarto sempre desarrumado. Se você é mãe, pai ou responsável de um pré-adolescente/adolescente, você provavelmente já presenciou pelo menos uma das situações acima. Não se assuste porque a grande maioria desses “sintomas” é natural, porém passageira.


Educar - Desafios e Possibilidades

Educar - Desafios e Possibilidades

 14/02/2020

Me deparei há algum tempo com um texto de Rubem Alves falando sobre a Arte de Educar. E se existe algo que normalmente as pessoas concordam é sobre o grande desafio que envolve esse processo. A Escola Interamérica, ciente de sua responsabilidade enquanto parceira da família e da sociedade, se sente também diariamente desafiada a estudar, aprimorar e qualificar cada vez mais o seu trabalho pedagógico.