Comunicação

Interamérica, há 21 anos construindo a escola do século XXI

Publicado em : 15/06/2018

Qual a escola que as famílias desejam para os filhos? Qual modelo de ensino faz mais vencedores em disputa por vagas? A educação do século XXI propõe, na essência de projeto pedagógico, o oferecer oportunidades de transformação do indivíduo tornando-o capaz de seguir por si mesmo. A proposta Interamérica constrói este caminho há mais de duas décadas.

Quando a escola abriu as portas em 1997, a proposta de construção do conhecimento, com o aluno sendo o protagonista, chamou a atenção de famílias. O novo modelo de educação, mesmo que tímido, seguiu na contramão do formato aplicado no século XIX com o excesso de disciplina, de conteúdo e avaliação testada pela memória.

Com 21 anos de atividade, o orientar pedagógico da escola está consolidado com destaque para o ler, interpretar, pesquisar, analisar, comparar, ouvir, ampliar, escrever, respeitar, organizar e solucionar. Verbos que buscam dar às ações a autonomia que o estudante precisa. “Temos professores capacitados para desenvolver atividades que despertem as competências desse estudante”, diz Vera Wohlgemuth Lôbo, diretora pedagógica geral.

Planejar a autonomia

O uso de multiplataformas em sala de aula feito pelo professor (vídeos, filmes, seminários para análise de casos) oferece educação conectada em rede com debate e formulação de boas perguntas. “A nova educação precisa disso para avançar”, diz Suelânia Santos, diretora pedagógica.

O avançar pede resultados e para tanto ouvimos ex-alunos sobre a metodologia de ensino que oferecemos. Vinícius Alcântara está no Ensino Médio e disse que somos “uma escola onde o conhecimento não é limitado à sala de aula”. Pedro Ortencio definiu como uma escola que “desperta o gosto pela pesquisa científica”. Pedro Skorupski Bastos estuda em Paris no Institut National des Sciences Appliquées para o duplo diploma em Engenharia Civil. Sobre nós, afirmou: “Uma escola que contempla múltiplas metodologias, indo além do currículo”. Amanda Pereira, 1º lugar em Direito na UFG, define a Interamérica como escola “que prepara o estudante com rotina de estudo e disciplina”.

Ao ler as opiniões, a diretora Suelânia Santos refletiu: “Estamos certos no olhar para o futuro esperando que as sementinhas plantadas no hoje tragam esse retorno. É a nossa realização”.

Leia mais sobre a caminhos da escola do século XXI em Resultados do projeto pedagógico Interamérica

E a opinião de ex-alunos sobre a nossa metodologia de ensino moderna e consolidada em O valor do projeto pedagógico com formação continuada