Comunicação

Formação continuada na Escola Interamérica – aprender contínuo para atuar com competência                            

Publicado em : 29/06/2018

 

Formação continuada na Escola Interamérica -

aprender contínuo para atuar com competência                            

 

por Suelânia Santos* 

 

À escola cabe hoje mais do que trabalhar com informações e conceitos, propor atitudes, formação de valores e práticas inovadoras, por isto faz-se necessário repensar o papel do docente e a sua atuação. As demandas sociais das novas gerações exigem práticas e desafios inúmeros.

O professor, ciente de que sua prática é cada vez mais complexa devido às mudanças de paradigmas impostas pela sociedade, se vê em meio a tantas perguntas:

- “terei tempo de passar todo o conteúdo”?

- “como utilizar os conteúdos conceituais como pretextos para desenvolver habilidades e competências”?

- “quanto tempo da aula tenho que destinar aos “imprevistos””?

- “como contribuir para que o aluno seja protagonista de seus estudos”?

- “trabalho em grupo vai “funcionar””?

- “de que forma vou inserir meu aluno no mundo digital como fonte de pesquisa e estudo”?

- “como desenvolver habilidades para aprender”?

- “como, onde, quando vou desenvolver os temas exigidos hoje: sustentabilidade, competência emocional, sexualidade, bullying, inclusão, diversidade, ostentação, esbanjamento de recursos, crise hídrica, e tantos outros”?

Diante deste cenário, a gestão escolar deve dar vez e voz a quem vive o dia a dia da escola – o professor – promovendo uma escuta ativa quanto às inquietações que dizem respeito ao próprio ato de ensinar para, a partir daí, organizar Formações a este profissional com temas que possam ser significativos, e, de fato, enriquecer sua prática.

O primeiro passo é reconhecer que a Formação não acaba na graduação. O aprender contínuo é essencial e isso se torna possível através de um processo formativo capaz de integrar os saberes teóricos a favor de reflexões que possibilitem a conexão entre teoria e prática para que o professor se sinta motivado a aprender e a replanejar constantemente.

A Formação Continuada dos docentes é uma atividade permanente de aprimoramento dos saberes necessários à realização de sua prática com o objetivo de assegurar uma ação efetiva que promova aprendizagens significativas aos estudantes.

Na Escola Interamérica, organizamos reuniões mobilizando toda a equipe para estudos de temáticas gerais e específicas. Consideramos indispensável alinhar os professores com o propósito da escola, com seus valores, por isto o Projeto Político Pedagógico da Escola é material de leitura e pesquisa, assim, constituímos uma rede coesa, com todos olhando na mesma direção e tendo os mesmos objetivos.

A BNCC ressalta fortemente a importância do desenvolvimento das competências socioemocionais para a formação integral dos indivíduos. Nós da Escola Interamérica sempre tivemos essa premissa como norteadora dos nossos Projetos, entendemos que é na relação com os outros que surgem conflitos, e é nesta mesma relação que aprendemos gerir nossas emoções. Ter, portanto, espaços, momentos em equipe para estudos e reflexões ajudará, sem dúvida, o professor na eficácia de seu desenvolvimento profissional, na eficácia de suas relações interpessoais e de processos subjetivos.

É por meio da imersão nestes encontros, em trabalhos colaborativos e compartilhados, que nos fortalecemos para dar passos ousados, porém responsáveis, e assim conseguirmos provocar nossos professores para que sejam persistentes, ativos, corajosos e conscientes da sua importância no cenário atual em relação ao que a escola pode fazer pela sociedade. Embora, como nos aponta Nóvoa (2002), seja necessário a “escola assumir que é APENAS UMA das muitas instituições da sociedade que devem promover a educação”.

Na Interamérica, acolhemos com responsabilidade a “fatia” que nos cabe neste processo de Formação profissional e humana dos indivíduos (alunos e professores) e, por isto, entendemos a Formação Continuada como uma ferramenta fundamental para criação de novos ambientes de aprendizagem, procurando fazer das nossas reuniões pedagógicas espaço de fato para construção de conhecimento, onde discutimos sobre todas as modalidades organizativas, metodologias ativas, mudanças que vão sendo implantadas para que o professor tenha segurança para pensar sobre sua prática e atuar com proatividade, com habilidades de comunicação, escuta ativa, enfim, com excelência e ética.

Neste processo de Formação, vamos ajudando o professor da Escola Interamérica a responder às suas perguntas/inquietações expostas no início do texto, vamos possibilitando ao professor a revisão de recursos, metodologias, material diversificado, enfim, investindo tanto nas discussões que possam provocar avanço nas competências cognitivas quanto emocionais.

Desta forma, consideramos que nos preparamos para abrir as portas da sala de aula, cotidianamente, com um professor competente para atender às demandas do momento histórico em que vivemos.

 

 

 

*Suelânia Santos é Pedagoga e Diretora Pedagógica da Escola Interamérica - Unidade II.


Estudante como protagonista e os benefícios para a aprendizagem

Estudante como protagonista e os benefícios para a aprendizagem

 21/06/2018

A tradicional ideia de que o conhecimento em sala de aula está centrado no professor ou no estudante tem dado espaço para uma outra forma de pensar a educação.

Agora vemos o estudante como protagonista de seu processo de aprendizagem, em uma relação de troca com o professor, em uma via de mão dupla em que ambos aprendem e se desenvolvem.


"O papel da escola no desenvolvimento socioemocional do indivíduo" e "A grande engrenagem"

 15/06/2018

Essa semana, a Escola Interamérica compartilha dois interessantes textos, escritos por duas de nossas Orientadoras Educacionais, sobre a escola e o desenvolvimento socioemocional de crianças e adolescentes.


Cortella: ‘A escola passou a ser vista como um espaço de salvação’

Cortella: ‘A escola passou a ser vista como um espaço de salvação’

 08/06/2018

O filósofo, educador e professor Mario Sergio Cortella alerta que as famílias estão confundindo escolarização com educação; para ele, pais devem retomar seu papel


A importância da parceria família e escola

A importância da parceria família e escola

 25/05/2018

A família e a escola formam uma equipe. É fundamental que ambas sigam os mesmos princípios e critérios, bem como a mesma direção em relação aos objetivos que desejam atingir. Ressalta-se que, mesmo tendo objetivos em comum, cada uma deve fazer sua parte para que se atinja o caminho do sucesso, que visa conduzir crianças e jovens a um futuro melhor.


A adolescência está mais complexa

A adolescência está mais complexa

 19/05/2018

Há até pouco tempo, sabíamos com clareza conceituar a adolescência: um período de transformações pessoais, sociais, emocionais, psicológicas e, principalmente, de concepção a respeito de si mesmo e da vida, que resultava em mudanças de comportamento. A puberdade –as alterações físicas dessa etapa– antecedia a adolescência e a precipitava.

E agora? Primeiramente, essa etapa da vida foi prolongada: não termina mais perto dos 20 anos, com a entrada na maturidade adulta. Hoje, podemos considerar a adolescência até mais ou menos os 25 anos, e olhe lá! Seu início também foi antecipado: não depende mais da puberdade, pois pode se iniciar bem antes.


Educação para a Paz

Educação para a Paz

 18/05/2018

Respeitar a vida, rejeitar a violência, ser generoso, ouvir para compreender, preservar o planeta, redescobrir a solidariedade


Mãe

Mãe

 11/05/2018

Dizem: quando nasce um bebê, nasce uma mãe também. E um polvo. Um restaurante delivery. Uma máquina de chocolate prontinho.


Ausência da Arte

Ausência da Arte

 11/05/2018

Anos atrás, lecionando literatura no Ensino Médio, afirmei em sala de aula que a arte é a representação da realidade a partir da ótica do artista. Hoje, muitos anos depois, continuo entendendo a arte desta maneira, como uma ferramenta que transporta sentimentos e traduz sob múltiplas formas a experiência humana na Terra. Assim como o estudo da Filosofia, da História e dos diferentes sistemas linguísticos, contribui de maneira real para o entendimento, mesmo que pequeno, do homem no mundo.


Autoestima: como construir o valor pessoal de um filho

Autoestima: como construir o valor pessoal de um filho

 27/04/2018

Embora os pais estejam cada vez mais conscientes do valor de uma boa autoestima para uma vida adulta bem-sucedida e feliz, e de estarem cada vez mais informados quanto à importância do seu próprio papel no processo de desenvolvimento dos seus filhos, os adolescentes de hoje em dia parecem cada vez mais frágeis e inseguros.


A angústia do adolescente: Um problema nosso ou de todos nós?

A angústia do adolescente: Um problema nosso ou de todos nós?

 27/04/2018

Nas últimas semanas, fomos surpreendidos pelas tristes notícias referentes a casos de suicídio entre adolescentes em São Paulo. Por compartilharmos de uma mesma dor e mediante a toda repercussão nas mídias sociais, uma questão sempre emerge nos fazendo pensar: “O que tanto angustia os adolescentes hoje?” Não é uma resposta simples diante da velocidade das mudanças que vivemos em nossa sociedade, porém, isso não nos exime de fazer esse questionamento e refletir sobre possíveis respostas. Essa preocupação perpassa a todos aqueles que de uma forma ou de outra se relacionam e participam da formação desses jovens: família, amigos, escola, etc.